MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO - Assis Chateaubriand
- | A | +
Noêmia Mourão, Moças do Boulevard Raspail, 1939
“Pessoal e intransferível”: a presença de Noêmia Mourão

Noêmia Mourão (1912-1992) ainda é ignorada na cena artística brasileira, apesar da intensa produção no país e no exterior. Sua trajetória se entrecruza com a de Di Cavalcanti, do qual foi aluna e esposa. Além de musa e companheira, a artista empenhou-se na luta por sua “assinatura autoral”, como revelam os catálogos das exposições e a crítica de arte.

ASSISTA A APRESENTAÇÃO

PALESTRANTE

Monica Pimenta Velloso 
É historiadora e pesquisadora da Fundação Casa de Rui Barbosa, com pós-doutorado pela Escola de Estudos Avançados em Ciências Sociais de Paris. É autora dos livros História e Modernismo (2010) e Modernismo no Rio de Janeiro (2015, segunda edição).