MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO - Assis Chateaubriand
- | A | +

Tomie Ohtake, Composição, 1978. doação da artista, 1979, acervo MASP, foto Eduardo Ortega
Rivane Neuenschwander, L.M (interdito), 2015, doação da artista, 2016, acervo MASP

Perdidos e achados: memória e infância na obra de Rivane Neuenschwander

A palestra pretende oferecer uma leitura da obra da artista Rivane Neuenschwander e a sua afinidade reflexiva com pensamento do filósofo alemão Walter Benjamin. Tomando como ponto de partida os trabalhos expostos em Nova York, em 2015, especificamente na mostra intitulada The fever, the sewing box and a ghost (citação direta a três fragmentos do livro Infância Berlinense, de Benjamin), outros três pontos importantes da obra de Neuenschwander serão recuperados, nesse encontro, através de imagens e comentários críticos: a memória como tarefa; a autoria como exercício além do "eu" e a amizade como política, ensaio e dádiva.



PALESTRANTE

Sabrina Sedlmayer é professora Associada II e pesquisadora da Faculdade de Letras da UFMG. Atua no âmbito da literatura comparada, integrada na Pós-Graduação à linha de pesquisa “Políticas do Contemporâneo”. É membro e vice-coordenadora do NWB (Núcleo Walter Benjamin) desde 2005, com várias obras, artigos e ensaios sobre o pensador berlinense. Autora dos seguintes livros: Jacuba é gambiarra (2017); Pessoa e Borges: quanto a mim, eu (2004); Ao lado esquerdo do pai (1997); Lavoura Arcaica: um palimpsesto (1999). E organizadora, junto a outros colegas da UFMG e da USP, de Walter Benjamin: Rastro, aura e história (2012); Limiares e passagens em Walter Benjamin (2010); O comum e a experiência da linguagem (2007) e Textos à flor da tela: relações entre cinema e literatura (2004).


Perdidos e achados: memória e infância na obra de Rivane Neuenschwander
Data: Sábado, 11 de novembro de 2017
Horário: 11h00

ASSISTA A APRESENTAÇÃO